Aprovada, o que muda?

Com a escolha do Corpo Social pelo voto sim, a Caixa de Assistência entrará em uma nova etapa. O repasse de recursos pelo Banco do Brasil previsto na Proposta CASSI, incluindo as taxas retroativas (sobre a contribuição por dependentes e a taxa de administração), representa injeção direta de dinheiro no caixa e o início da recomposição das reservas financeiras, afastando o risco imediato de intervenção por parte da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). Na sequência, também os associados passarão a contribuir por dependente, auxiliando no equilíbrio entre receitas e despesas do Plano de Associados.

Na prática, o sim garantirá que a CASSI mantenha a normalidade na prestação de serviços. E, ao mesmo tempo, dará fôlego para a Instituição fazer as mudanças necessárias para permitir a adequação de processos, aprimoramento de programas de saúde e investimento na melhoria de sistemas, com foco na área de tecnologia.